top of page

Terapia Sistêmica - conceito, evolução e aplicações

O termo sistema é usado para expressar relacionamentos existentes que fazem parte de um todo organizado. Assim, um sistema é um conjunto de elementos interligados.



O que é e como funciona a Terapia Sistêmica


Como sempre dizem, “ninguém é uma ilha”. Todos nós, por mais sozinhos que possamos viver, sempre mantemos algum tipo de relacionamento com pessoas, seja no âmbito da família, profissional, escolar, de amizade…


Enfim, o homem sempre constrói e mantém algum tipo de relacionamento. O foco da Terapia Sistêmica é justamente a ligação entre o indivíduo e os relacionamentos que o cercam. Quem a conduz é o psicoterapeuta que, após uma análise, trata as possíveis dificuldades e os eventuais transtornos que envolvem os relacionamentos do cliente


Do ponto de vista teórico, o paradigma sistêmico surgiu na década de 1950 e seu principal propulsor foi o cientista Gregory Bateson, que propôs a necessidade de compreender a realidade de cada indivíduo a partir de vínculos com seu contexto social mais direto.


A Terapia Sistêmica, através dos ensinamentos teóricos, técnicos e clínicos, enxerga o indivíduo como um sistema de relacionamento com os demais. Ela promove uma maior consciência ao paciente sobre as dificuldades e problemas que ele enfrenta e sobre a possibilidade de aprender novos comportamentos, atitudes e sentimentos que possam levá-lo à mudança e à melhoria nos relacionamentos.


O foco da terapia sistêmica está baseado na compreensão dos padrões de comunicação que ocorrem no âmbito familiar, nos locais de trabalho ou nos relacionamentos entre casais

Em outras palavras, trata de estudar os indivíduos dentro de um sistema de relacionamentos.


Os especialistas desta abordagem terapêutica buscam padrões de comunicação que afetam negativamente um coletivo (por exemplo, uma família) e através da terapia corrigem esses padrões para que o paciente deixe de ter os sintomas que lhe provocam angústia ou sofrimento.


Obviamente, neste tipo de terapia a família é concebida como um sistema, uma vez que os diferentes membros que a compõem criam interações emocionais e afetivas que determinam o comportamento individual de cada membro da família.


Por que buscar a Terapia Sistêmica?


Normalmente, quem busca algum tipo de terapia está enfrentando dificuldades que prejudicam o bem-estar, o relacionamento com pessoas próximas e a qualidade de vida. Esses problemas podem ser:

  • Pessoais: decepções com pessoas de sua intimidade e convívio;

  • Profissionais: dificuldades com chefes ou colegas de trabalho;

  • Familiares: desgaste com esposa, marido, filhos, pais e demais parentes;

  • Próprio: quando a dificuldade de aceitação é percebida em si mesmo.

Assim, a Terapia Sistêmica trata a pessoa em relação ao contexto e aos relacionamentos que ela vive e com os quais apresenta dificuldades. Durante as sessões em uma terapia deste tipo, o paciente é analisado a partir de suas características pessoais e dos sistemas sociais dos quais participa. Este modelo de tratamento é indicado para pessoas de todas as idades.


Objetivos da Terapia Sistêmica

  • Provocar a mudança nos padrões de relacionamento;

  • Promover a autonomia;

  • Chamar a consciência da situação para que o paciente possa analisar o padrão de relacionamento e evitar reações impensadas e automáticas;

  • Conscientizar o paciente a respeito de sua individualidade, capacidade de reação e responsabilidades;

  • Melhorar a qualidade de vida nos ambientes que a pessoa frequenta;

  • Tornar o paciente apto a fazer escolhas;

  • Enxergar o indivíduo por meio dos diversos papéis que ele executa nos grupos que faz parte;

  • Avaliar as influências que o paciente recebe e pratica;

  • Promover aprendizado sobre formas de se comportar;

  • Orientar possíveis mudanças comportamentais;

  • Permitir que o paciente encontre meios mais fáceis de interagir em sociedade;

  • Promover a potencialização pessoal;

  • Permitir que o indivíduo se reconheça melhor, reforçando seus pontos positivos e qualidades.


467 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page